Calote polar

7 12 2010

Há termos que nos deixam curiosos especialmente, como é o nosso caso, quando não temos muitos como vizinhos do lado. Um dos termos ou expressões que sempre nos deixaram intrigados mas cujo significado nunca procurámos porque tínhamos, por exemplo, Portugal ao lume, é o termo científico “calote polar”. A primeira dúvida que surge é a grafia: “calota polar” ou “calote polar”? Vamos decidir-nos pelo segundo por duas razões que se complementam. A primeira razão é que “calota” parece um ser humano infante com os habituais problemas de dicção a tentar dizer “Carlota” (nome aristocrático e de tradição monárquica habitualmente dado por novos-ricos de Cascais, mas cujos pais são de Alvoco das Várzeas, às filhas). A segunda razão, e a mais importante, é que se não optássemos por “calote”, este post não teria sentido, ao contrário de 2% dos nossos posts.

“Calote polar.” Todos sabemos o significado de “polar”. Para os ignorantes que não sabem, trata-se de um tipo de camisola quentinha comercializada em lojas de desporto como a Decameron. No respeitante a “calote”, há o significado científico-coiso da palavra: “revestimento, de gelo, das regiões polares de alguns planetas”, segundo a Shôtora Internette. Para os de vós que não sabem o que é um/não são deste planeta, um calote polar é, tipo, um congelador (sítio onde um gajo mete logo as minis mal chega do supermercado onde, com a pressa de vir para casa beber cerveja, deixou a família) à escala terrestre. Porém, e a língua portuguesa neste aspecto é do melhor que há, o termo “calote” (sem o polar porque aqui dentro não está assim tão frio, podem ficar só de t-shirt) significa, em linguagem mais popular, “dívida, que não se pagou ou que se contrai sem tenção de a pagar.” Isto segundo o dicionário que ali temos como base para um dos alicerces do prédio…

Assim, pareceu-nos importante fazer um post misturando todos estes maravilhosos universos (calotes, polares e cerveja). Quem é que habita os calotes polares? Vamos dizer que são os ursos… polares. “Ó Jacaré, essa afirmação carece de uma efectiva validação científica e…” Pois, Jóni. Mas acho bem que te cales. Não te esqueças que ganhei-te a alma ontem na bisca e eu nem sei jogar. Adiante. Imaginem agora a seguinte cena (lembrei-me disto quando estava a tomar banho e fartei-me de rir ao ponto de me engasgar com champô barato do Lidl). Uma tasca num calote polar. O dono atrás do balcão é um esquimó neozelandês. Na rádio passa o relato de um jogo do Desportivo da Gronelândia (que já conheceu melhores dias). Nisto entra um urso polar. O bicho senta-se ao balcão e pede uma cerveja. O dono faz um ar de desprezo e aponta para uma placa atrás dele que diz “Não se vende fiado.” O urso começa com argumentos elaborados como “Vá lá…”, “Eu recebo para a semana e pago-te isso” ou “Rrrrrauuurghhhhhrrr” mas o dono rejeita: “Tu tens consciência do calote que aqui tens?!”

O urso – talvez num acesso de delirium tremens – começa a ficar nervoso e inquieto. O dono, que sabe que está perante um urso não só polar como também bipolar, não quer problemas, ainda por cima com a casa cheia. Quando tem episódios de bipolaridade – como as pilhas Duracelina – na tasca em questão, o urso em causa varia entre momentos de grande afabilidade (ex: ajuda velhinhas a beber bagaços de penalty) e momentos de extrema agressividade (ex: obriga velhinhas a beber bagaços de penalty). O que deve o tasqueiro fazer?

Como já devem ter reparado, não sei que rumo dar a este post. Assim, coloco-vos este dilema em cima da mesa. Qual deve ser a solução a ser utilizada pelo dono da tasca? Serve-lhe uma cerveja e, de forma a apaziguar o mamífero terrestre carnívoro e ganhar a sua confiança, oferece-lhe por conta da casa um pica-pau de foca? Ou deve, mais precisamente, fazer outra cena qualquer? Agora tenho de ir ali que deixei a porta do congelador aberta e daqui nada minis frescas nem vê-las e a cozinha transforma-se na Lagoa Comprida.

Podem enviar as vossas respostas para os números 252 911 220 e 234 746 394 ou para o nosso e-mail.

“O que foi?”

Nota: Parece que “calote polar” é feminino. Só vimos depois de escrito o post. Não contem a ninguém. Eu mato-vos, perceberam? Vou a vossa casa e corto-vos o pescoço e… Vá, um abraço.

About these ads

Acções

Informação

2 respostas

5 03 2012
tiburco

que cena e essa nao tem informacao nenhuma…000000000 de informaçao

5 03 2012
rui jacaré

Não sei o que te diga.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s




Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: